A Força Sindical reforçou seu apoio a legalização dos jogos. Em um documento entregue ao Palácio do Planalto com sugestões para a Reforma Previdenciária, está listada a regulamentação da atividade de jogos no Brasil como forma de manter os atuais benefícios e regras da lei.

CUT, UGT e Força Sindical, as três maiores centrais sindicais do país, são contra a idade mínima e outras alterações propostas para equilibrar as contas da Previdência Social.

Na opinião da Força Sindical, a regulamentação dos bingos e cassinos serviria para ajustar o déficit presente e futuro da Previdência, mantendo desta forma inalterados benefícios trabalhistas.

Tratando-se de Reforma Previdenciária e aumento de receita, o governo tem pressa. O inesperado aumento do Judiciário e a criação de 14.000 novas vagas no serviço público, divulgados na semana passada, aumentam a pressão por incrementos de receita.

Lembrando que o ano de 2016 é bem curto, deixando pouco espaço para votações: entre junho e julho, há o recesso parlamentar. Em agosto, os parlamentares devem ter suas atividades reduzidas por conta das Olimpíadas. Por fim, há as eleições municipais em setembro e outubro.