A comScore, empresa de tecnologia que fornece análises para o mundo digital, divulgou recentemente que apostadores brasileiros são maioria na América Latina, com 6,8 milhões de visitantes únicos, seguido pela Argentina (com 2,1 milhões) e pelo México (com 1,141 milhões).

Dos apostadores brasileiros, 9,5% informaram que fazem para entretenimento, necessidade de complementar a renda ou dependência do jogo. Entretanto, só no último ano o número de jogadores no país cresceu cerca de 12%. O que indica que as plataformas de apostas on-line estão se popularizando entre a população.

O sucesso deste tipo de entretenimento em terras tupiniquins confirma a paixão dos brasileiros pela internet. Segundo a ComScore, o apostador brasileiro é o público da América buy cheap cialis online Latina que passa mais horas conectados a rede: 33,3 por mês contra cerca de 24,2 do restante do continente.

Na América Latina, o Brasil é o único país onde as apostas on-line não são regulamentadas. Não existe a proibição expressa e nem consenso se de fato é ilegal. De acordo com cálculos divulgados casino online pelo diário “Folha de São Paulo”, se os governantes brasileiros aplicassem uma taxa de 4% ao setor das apostas, a receita poderia situar-se nos 85,2 milhões de euros por ano.

Em quase toda a Europa as apostas são legalizadas. Em países como a Espanha, o número de jogadores únicos ao ano ultrapassa 1 milhão, movimentando mais de 2,354 bilhões de euros. Só em apostas de bingo o valor apostado girou em torno de 24.360.000 euros. Portugal o jogo movimenta dois mil milhões de euros por ano.

Estados Unidos, Japão, Hong Kong, Reino Unido e Austrália ocupam os primeiros lugares na tabela de apostas via Internet, posicionando-se os apostadores brasileiros no 23º posto.

Entretanto, a previsão de crescimento do setor é positiva, graças ao intenso processo de regulação que está sendo implantado em vários países de todo o mundo. Embora agora a maior quota de mercado esteja localizada na América do Norte e Ásia, os especialistas estão confiantes de que em outros países haverá progresso legislativo na mesma direção.